Além das quatro paredes

Publicado por | Acontece, Artigos

 

Roda de Conversa “Além das quatro paredes”.
Com participação de Natália Públio, Vítor Luz, Jessica Almeida, Jefferson Paixão e Dan (Black) Pedroso

 

Como fundadora de uma consultoria que promove mais diversidade e inclusão nas empresas, trabalho diariamente para que as pessoas compreendam mais sobre a comunidade LGBT+.

“Mas você é heterossexual. Não tem lugar de fala!” Bom, o conceito de lugar de fala anda um pouco bagunçado e as pessoas acabam usando para silenciar umas às outras.

Usando do meu lugar de fala de mulher cis e heterossexual, me torno uma pessoa aliada da causa e, falando desse lugar, defendo os direitos e a construção de ambientes de trabalho que permitam as pessoas serem quem são.

O título desse artigo é uma provocação a todas as pessoas que, cheias de “cuidado”, querem evitar tratar sobre a comunidade LGBT+ no ambiente de trabalho, como se este tema fosse resguardado a um foro íntimo das quatro paredes.

E não é.

Ser LGBT+ vai além do quarto fechado. É uma forma de estar no mundo. E como consultora para empresas, afirmo que construir um ambiente de trabalho que não constranja as pessoas por serem quem são é fundamental para qualquer negócio.

E por quê?

Porque melhora o clima: poupa as pessoas de se esforçarem e gastarem uma energia imensa para criar personagens e histórias para não “dar pinta” de quem realmente são.

Porque garante diversidade de olhares e pluralidade nas construções de ideias, assim, a gente vai lutando por soluções que ultrapassem a cisheteronormatividade.

Porque a diversidade aumenta a probabilidade de as empresas serem mais lucrativas e rentáveis. Isso é o estudo da Mckinsey que fala – uma das mais respeitadas consultorias de negócio.

Porque reduz turnover. Ambientes mais diversos, onde as pessoas podem ser quem realmente são, constroem segurança psicológica. E, se você está confortável em seu ambiente de trabalho, vai pensar várias vezes antes de trocar!

Porque gera valor para investidores, para a marca empregadora e clientes.

E com todos estes argumentos, fica fácil entender porque o tema tem ganhado cada vez mais espaço nas agendas estratégicas das lideranças.

 

Por Natália Públio, membra do comitê de Diversidade da APP Campinas e cofundadora da Mezcla Diversidade, e Vitor Luz, Líder Comitê DIBP (Diversidade, Inclusão e Boas Práticas) da APP Campinas

Last modified: 28 junho, 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *